LINHA DO TEMPO


1929
A Lojas Americanas é inaugurada em Niterói, no Rio de Janeiro, por John Lee, Glen Matson, James Marshall e Batson Borger, norte-americanos de nascimento, sob o slogan “Nada além de dois mil réis".
1940
A empresa promove abertura de seu capital e se torna uma sociedade anônima.
1982
Sócios do Banco Garantia na época assumem o controle da empresa.
1994
É formada a Wal-Mart Brasil S.A., joint venture que une Lojas Americanas S.A. e Wal-Mart Store Inc. – uma das maiores cadeias mundiais de varejo, com sede nos Estados Unidos.
1997
A administração da Lojas Americanas decide pela venda total da participação de 40% na Wal-Mart Brasil S. A. para a Wal-Mart Store Inc. A decisão tem como objetivo a concentração de todos os recursos organizacionais e financeiros da Companhia com foco no seu próprio negócio.
1998
Venda das 23 lojas de supermercado e concentração de investimentos em tecnologia e logística.
1999
Aprovada a segregação das atividades imobiliárias e de participações exercidas pela São Carlos Empreendimentos das atividades de varejo de Lojas Americanas. No mesmo ano, é fundada a Americanas.com.
2000
Aumento do capital da Americanas.com por meio da subscrição de novas ações. Estas ações corresponderam a uma participação de 33% do capital social da Americanas.com e foram negociadas no valor de US$ 40 milhões.
2001
Lojas Americanas atinge novos patamares de resultados, registrando lucro líquido de R$ 57,1 milhões e margem EBITDA de 6,2%.
2002
Lojas Americanas supera as metas estabelecidas, registrando margem EBITDA de 9,1% e lucro líquido de R$ 103,1 milhões. Americanas.com atinge o ponto de equilíbrio (break even point). A distribuição de dividendos alcança a cifra de R$ 89,2 milhões.
2003
Aceleração do programa de expansão de lojas com a inauguração de 16 novos pontos-de-venda. Inauguração da Americanas Express, que segue o conceito de lojas menores, com oferta de produtos mais selecionados. Lucro líquido de R$ 115,9 milhões e um novo recorde na margem EBITDA de 11,2%.
2004
O ano do crescimento orgânico. Foi aberto um número recorde de lojas, 35 no total e cinco delas no modelo Express. Inaugurado o Centro de Distribuição em São Paulo, que aumentou a capacidade de armazenamento, transporte e abastecimento em 50%. Americanas.com cresce as vendas em 62% em relação a 2003. A margem EBITDA consolidada atinge 12,1%.
2005
Um ano de importantes realizações para maximizar o valor da Lojas Americanas: foram inauguradas 37 novas lojas, foi adquirido o canal de TV e site de comércio eletrônico Shoptime e foi realizada uma joint venture com o Banco Itaú, criando a Financeira Americanas Itaú – FAI, ou Americanas Taií. A margem EBITDA manteve-se no patamar de 12% e o lucro líquido foi de R$ 176,1 milhões, o maior dos últimos anos.
2006
Em 2006, dando continuidade aos nossos Sonhos para a geração de valor de Lojas Americanas S.A., prosseguimos com a nossa expansão orgânica inaugurando 45 novas lojas e criamos uma nova empresa, a B2W – Companhia Global do Varejo, produto da fusão entre a Americanas.com e o Submarino.
2007
Em janeiro de 2007, Lojas Americanas anunciou a aquisição da BWU – empresa detentora da marca BLOCKBUSTER® no Brasil – e somou mais 127 lojas à sua rede. Este acontecimento reforça a constante busca da Lojas Americanas em promover a evolução do seu negócio, ampliando a oferta de produtos e serviços aos seus clientes, gerando mais valor para seus acionistas, fornecedores e associados. A Companhia estabeleceu ainda um novo recorde, inaugurando 50 lojas – 28 no modelo Tradicional e 22 no modelo Express -, e reformou 107 lojas da BWU. Tais acontecimentos demonstram a capacidade de realização da Companhia em um único exercício.
2008
Com o objetivo de criar valor para os acionistas, seguindo o lema interno “Queremos Sempre Mais”, em 2008 a Lojas Americanas inaugurou um total de 58 lojas, distribuídas em 18 Estados. Um recorde para a Companhia. Muitas cidades, como Santo Antônio de Jesus/BA, Teresina/PI, Barreiras/BA e Crato/CE, inauguraram suas primeiras unidades. Com a inauguração de 3 lojas na cidade de Manaus, 2008 ainda ficou marcado pela volta da Lojas Americanas a um dos maiores centros comerciais da Região Norte do país. Além disso, reformamos e ampliamos nossos 3 centros de distribuição, localizados em São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ e Recife/PE, com o objetivo de aumentar a capacidade e melhorar nossa operação logística.
2010
A Companhia inaugurou 70 lojas, atingindo o número máximo de lojas novas previstas para aquele ano (entre 60 e 70 lojas). Já a B2W continuou sua expansão internacional, com a Ingresso.com chegando a cinemas da Argentina e do Chile.
2011
Foram inauguradas 90 novas lojas, um novo recorde para a Companhia. Nesse mesmo ano, ela realizou o maior investimento da sua história, participando com R$ 644 milhões no aumento de capital realizado pela B2W e investindo R$350 milhões na Lojas Americanas, com ênfase em: expansão, reforma da rede de lojas e atualização tecnológica.
2012
No terceiro ano do programa "Sempre Mais Brasil", a Companhia inaugurou mais 111 lojas, ampliando sua presença para 254 cidades em todo o País, totalizando 25 estados mais o Distrito Federal. Também neste ano foi anunciado o fim da parceria entre a Lojas Americanas e o Itaú para oferta, distribuição e comercialização de produtos e serviços financeiros.
2013
Conclusão do programa de expansão orgânica "SEMPRE MAIS BRASIL – 80 ANOS EM 4!", a Companhia passa a operar 856 lojas espalhadas por 297 cidades dentro de 25 estados mais o Distrito Federal, o que significa que praticamente dobramos o tamanho da Companhia em apenas 4 anos, concluindo com êxito o desafio divulgado ao final de 2009. Além disso, para garantir uma maior eficiência na distribuição das mercadorias, em outubro de 2013 a Companhia inaugurou seu quarto Centro de Distribuição, em Uberlândia-MG. O novo centro garantirá maior agilidade no abastecimento das lojas físicas com o objetivo de oferecer o melhor atendimento aos clientes de Minas Gerais e das regiões Centro-Oeste e Norte.


O uso de marcas registradas e índices da Morgan Stanley Capital International Inc. ("MSCI") não constituem patrocínio, endosso ou promoção por parte da MSCI, de suas filiadas, de seus fornecedores de informação ou de outros terceiros envolvidos ou relacionados em compilar, computar ou criar qualquer índice da MSCI. Os índices MSCI são marcas registradas da MSCI, ou de suas filiadas, e Lojas Americanas S.A. teve concedida licença para uso dessas marcas para determinados fins.